Companhia Arte em Espetáculos

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA



 

Em setembro de 2012, entive na Sala de Leitura da Escola Estadual Prefeito Antonio da Costa Santos, para convesar com alunos dos período da manhã e da noite,  sobre a importância da leitura. Agradeço imensamente pela oportunidade e pelo carinho da diretora, professoras, bibliotecária, mediadora, secretaria,  e principalmente dos alunos. 


Alunos que estiveram presentes na Sala de Leitura, no período da manhã

 Assim foi nossa conversa: 

Estou a caminho de editar meu terceiro livro intitulado "Cerimônia do Chá" e o quarto livro está em fase de composição. Muitos já me perguntaram o que me levou a escrever e como já disse nas outras escolas em que estive, se  eu consegui escrever livros, dezenas de poesias, além de muitas crônicas  e compor as histórias, deve-se ao fato do cultivo de um hábito que teve origem na minha infância, a leitura.
Confesso que eu nunca fui uma aluna excepcional. Fui daquelas que estudava para estar apenas dentro da média. Só que que  quando eu estava na escola, saber escrever e ler bem e fluentemente, era fundamental. E para ter uma leitura fluente, treinávamos muito. Tínhamos que ler em voz alta e escrever em caderno de caligrafia. Desta forma, para se conseguir sair do primário, era necessário estar realmente tinindo, porque no ginásio teríamos que ler muitos livros. Nem sempre nós gostávamos, mas acho que essa obrigatoriedade contribuiu para despertar o verdadeiro interesse para a leitura.
O acesso à Biblioteca Municipal ajudou muito, pois no meu colégio não havia biblioteca. Eu  sempre estudei em escola estadual. A minha ficha da biblioteca chegou a ficar repleta, de tantos livros que cheguei a emprestar. E não foram só os que os professores indicavam, não.
Quando eu era adolescente, algo me chamou a atenção. Minha avó Elza, pessoa simples, que não teve oportunidade de estudar além do segundo ano primário, era alguém que tinha conhecimento sobre os mais variados  assuntos. Ela não teve acesso aos livros, mas lia diariamente os jornais, de fio a pavio.
Hoje,  a maioria das pessoas que ficam em casa no período da tarde assistem à TV, ao  Vale a pena Ver de Novo. Mas após o almoço, era a ocasião que minha avó, devorava o jornal.
Isso me chamou a atenção, depois de uma mentira esfarrapada de eu dei pra professora de estudos sociais. Eu cursava o primeiro colegial, que hoje é relativo ao primeiro ano do ensino médio. A professora de estudos sociais pediu para que os alunos levassem recortes de jornais sobre qualquer assunto. Eu esqueci completamente, deixei de levar o tal recorte e saibam que meu pai era assinante do jornal Diário do Povo. Inventei uma desculpa qualquer, mas não colou e a professora tirou um ponto da minha média por isso. Fiquei inconformada, mas a partir dali, entendi que o desembaraço, a sabedoria e a atualização de minha avó, era devido à leitura dos jornais e que aquela também era uma boa forma de leitura.
O tempo foi passando e além dos livros indicados pelos professores chegou a fase de  ler os que se tornaram grandes filmes e novelas. Descobri como é interessante avaliar um filme, tendo lido o livro em que foi baseado. Um exemplo atual é o Código da Vinci, ou os filmes do Hary Poter. Quando se lê o livro, pode-se  avaliar melhor o filme.
Ler dá assunto. Torna a pessoa mais crítica e atualizada e uma leitura pode ser além dos livros, através de revistas, jornais, gibis. 
Assim sendo, esse hábito que me conquistou, parece que  tinha um propósito, pois atiça a imaginação e a capacidade de discernimento.
Embalada pelos escritores e suas histórias fantásticas eu também tive a intuição de escrever o meu primeiro romance intitulado “Ema”.
Foi muito difícil levar em frente esse sonho de ver o livro editado, mas acreditei na intuição e segui em frente.  Determinada em editá-lo, me inscrevi  no FICC, Fundo de Investimentos Culturais de Campinas e fui uma das contempladas na área de literatura, com verba para edição de livro e em 2007 fiz o lançamento.
Desde então, não parei mais. Em 2010 lancei meu segundo romance intitulado“Estão Voltando as Flores”.
Passei  a conhecer  a classe de autores aqui de nossa cidade, poetas e escritores que frequentam  o Sarau dos Poetas e Escritores de Campinas e outros segmentos literários como A Casa do Poeta de Campinas, onde atualmente faço parte da diretoria.
O que eu também quero dizer pra vocês alunos é que todos somos uma possibilidade e que devemos acreditar na nossa intuição para a realização de sonhos e projetos e para isso é preciso muita determinação. É preciso buscar conhecimento e aproveitar o tempo, não só ficando no facebook, ourkut, mas com coisas que venham a acrescentar algo mais. A gente está sempre aprendendo. Aprendo muito quando estou bolando o enredo de um livro e ainda tenho muito que aprender. Aprendo lendo e quando estou criando uma história vou pesquisar, estudar sobre o lugar em que ela vai acontecer.
No livro Ema, por exemplo, pesquisei sobre Campinas no começo do século  passado. Em Estão Voltando as Flores foi preciso consultar  o Código Penal Brasileiro, pois na trama há um assassinato, então precisei saber sobre leis, principalmente sobre o falso testemunho no tribunal. No próximo livro que vou publicar,  Cerimônia do Chá, que é sobre japoneses, foi preciso uma longa pesquisa sobre a imigração, costumes e sobre a própria cerimônia do chá, que é uma tradição milenar japonesa.  Também descobri o Haicai. que é uma forma de poema japonês, que foi divulgado aqui no Brasil, pelo príncipe dos poetas Guilherme de Almeida, que aliás é campineiro. Vocês já ouviram falar dele? Ele foi tão importante para a literatura brasileira que lhe deram esse título.  Eu já conhecia seus poemas, mas não sobre os haicais.
Por isso eu digo que a vida vai tornando-se um aprendizado eterno.
Mas eu pergunto:
O que seriam dos escritores se não fossem os leitores?  O que seria da TV, do teatro e do cinema sem os escritores? 
Somos sonhadores, criamos e depois queremos compartilhar nossas histórias. Acho que  somos criadores de sonhos, pois  levamos as pessoas a sonhar, a se emocionar, a pensar, refletir.
Cada autor tem um estilo, uma característica. O meu é a narração, o  romance e a poesia, mas há tantos estilos, terror, ficção, drama, suspense, auto-ajuda, comédia.
Dê uma  chance, “leia”,  embarque nessa viajem e descubra um mundo e se descubra. 

ROSANA MONTERO CAPPI 


                                         Apresentação de Haicais                     
                                                             
                                                                    Leitura de poesia minha
 
 Doação de livros e autógrafos

                     O carinho da aluna
A mediadora Samanta com a bibliotecária Mari entre alunas 


Da esquerda p/direitra a diretora Maria Aparecida Estevo e a secretária Vânia

Flores oferecidas pela direção e entregues pela mediadora  Samanta C.Vianna Cappi
             À todos vocês, meus sinceros agradecimentos 
Rosana

8 comentários:

Casa do Poeta Campinas, tem por finalidade divulgar a poesia e incentivar novos poetas disse...

Mensagem de Raquel Canto, transmitida via e-mail:

Oi, Rosana querida

Que maravilha incentivar o hábito de leitura nos jovens.
Li e adorei o que você escreveu.
Saudades.

Beijos
Raquel

clarafenix disse...

Olá.Rosana
Emocionei-me com tudo que li.
Fiz uma viagem no túnel do tempo
Parabéns pela garra e pela maneira simples como expõem para os jovens sobre a importância da leitura e especialmente pela forma como incentivas a realização dos sonhos.Eu também tenho os meus.Todos temos.Acreditar é o princípio para vermos as realizações desabrocharem em nosso viver tal qual as flores no campo.
Amei sua simplicidade cativante.
Beijos em seu coração
Paz e Luz para você
Ana Lúcia Mendes dos santos Sampaio ( Clara Fênix)

Eunice Rodrigues de Pontes disse...

Parabéns Rosana, pela sua aula de leitura, muito importante p/ os jovens de hoje; o incentico à leitura é fundamental p/ o conhecimento e a cultura, de maneira geral.
Um grande abraço
Eunice Rodrigues de Pontes

Rosilene disse...

Muito bacana esse trabalho na escola.
Apresentando aos alunos experiências vividas da querida vó Elza.
Tenho certeza que conseguiu abrir a mente dos jovens e dispertar o gosto pela leitura.
Parabéns
Um super beijo!
Tua irmã Rosilene

Rosana Montero Cappi disse...


Comentário de Marli Prada, transmitido via emai:

Parabéns,Rosana!
Que belo trabalho com esses alunos,a leitura é tudo!
Bjs
Marli

Fanzine Episódio Cultural disse...

2012


Imagine por um instante várias catástrofes acontecendo simultaneamente ao redor do mundo: Tsunamis, Terremotos, Avalanches, Ciclones, Tufões, Furacões,Vendavais, Maremotos, e, para completar tudo isso, uma dose cavalar de politicagem.
Sem dúvida seria o fim da humanidade. Nenhuma profecia, por mais detalhista que fosse chegaria a tanto.
De nada vai adiantar fugir para as montanhas, se trancar em um mosteiro e rezar para todos os deuses. Até a nossa própria sombra irá nos abandonar.
Fazer o que... Que venha o derradeiro amanhã...
Opa, espere um pouco! Esqueci de ir ao banco tirar o meu vale!!!

(Agamenon Troyan)

Fanzine Episódio Cultural disse...

Sol vampiro

Oh, grande Ámon-Rá,
Que rege as dunas e o sol,
Que silencia o homem
Com o silêncio do furacão!

Que percorre o deserto
Causando miragens
Em mórbidas pinturas,
Iludindo os maus beduínos
Afogando-os no oceano de areia.

Oh, grande Ámon-Rá!
Por misericórdia,
Não desvies tua atenção;
Não deixes livres por esta terra
A fome, a sede e a guerra -
Sementes da destruição!

A humanidade, outrora soberba,
Agora jaz em cova rasa, sem epitáfio,
A espera do teu julgamento.

O silêncio é rompido:
É Anúbis, o deus chacal!
O princípio do fim,
O juízo final.

(Agamenon Troyan)

SKYPE: tarokid18

Jú Marques disse...

Adorei esse dia. Sou umas das alunas que estava presente e recebi o livro Ema, a qual "devorei" e amei. Sem dúvida, você é maravilhosa Rosana Cappi! Obrigada pela oportunidade!