Companhia Arte em Espetáculos

domingo, 7 de julho de 2013

Companheiras Inseparáveis - 2º Lugar no 38º Concurso Internacional de Literatura - Edições AG - Categoria Crônica (Junho/2013)


A menina ri, dando gargalhadas até quase perder o fôlego. Ao seu lado, as amiguinhas  da escola, também estão se escrachando de tanto rir. O motivo dessa algazarra é algo banal, mas as garotas não conseguem conter as risadas a ponto de uma delas ter um acesso. A mãe da guria, ao ouvir tanto euforia, aparece na varanda, onde elas estão e pergunta com curiosidade:
- Minha filha, mas o que a faz rir tanto assim?
A menina, mal consegue explicar, até que uma das colegas responde:
- É que eu fui sentar naquela cadeira e ela arriou e eu me estatelei no chão com as pernas para o ar. É isso.
        Mas você não se machucou?
        Não senhora. Não me aconteceu nada, agora a cadeira.......
As meninas continuam rindo do fato ocorrido.
A mulher então balança cabeça e pensa.
        Ah! Crianças.
Depois dá um suspiro e diz suavemente.
- Cuidado crianças, tem um ditado que diz que quem muito ri, depois  poderá chorar!
E a filha quase engasgada pelo choro motivado pelo riso, retruca.
- Mãe, mas eu já estou chorando de tanto rir!
A mulher dá os ombros, sorrindo com a pureza e ingenuidade da filha e resolve voltar para dentro de casa e continuar seus afazeres, enquanto as alegres amigas ficam  na varanda conversando e se divertindo com o cômico acontecido.
A expressão chorar de rir, demonstra que o excesso da risada pode provocar lágrimas. É uma catarse. Uma coisa física do nosso organismo, sendo o que aconteceu com a garotinha.
Mas o que será realmente que a mãe dela quis dizer? Qual a conotação cautelosa daquele simples aviso? Com certeza,  com sua experiência de vida, ela sabe que se existe a alegria, também há tristeza.
Chorar de rir, foi apenas uma maneira simples de demonstrar a reação que um excesso, no caso a risada, pode provocar, aflorando algo completamente oposto, o choro. É um exemplo singelo e ingênuo, principalmente pela infantil situação.
Diante das situações de nosso dia a dia, podemos reparar como é que essas duas realidades, a tristeza e alegria, andam juntas. Se algo muito bom acontece, logo em seguida vem uma novidade para se sobrepor, provando que nada é totalmente ruim e nem totalmente bom, se não tivermos o discernimento para  saber como enfrentar cada situação.
Manter a estabilidade emocional é uma tarefa das mais árduas aos seres humanos. Os animais domésticos, se esquecem dos safanões que levam, não guardam mágoa ou rancor. Já  os homens, sofrem terrivelmente diante das adversidades. Manter-se equilibrado depende de diversos fatores, os quais estão diretamente relacionados em estar atento e sempre alerta aos sinais que a vida vai apontando.
Assim sendo, se algo muito bom acontece, é sinal de que a própria pessoa buscou e acabou atraindo aquilo. A primeira coisa a fazer é agradecer, depois se alegrar e sentir-se merecedor. A vida nos dá sinal positivo. É óbvio que é bom. Mas cuidado, não deixe a euforia se instalar de maneira exagerada, impedindo a aceitação aos  sinais contrários, no caso de algo desfavorável, o que poderá tirar a força necessária para enfrentá-los.  
É sempre assim. Tem pessoas que lutam para atingir um objetivo e quando conseguem a realização, paralelamente acontece um outro fato, que tende a abafar aquela satisfação. Então se diz:
- Fazer o quê, nada é perfeito.
São as velhas companheiras inseparáveis, a alegria e a tristeza, que andam juntas e não  desgrudam de nós. Com elas convivemos eternamente.  Só devemos estar atentos, para ter uma convivência equilibrada, pois a todo instante uma vai querer se sobrepor a outra. É claro que é melhor ser alegre que ser triste. Essa frase, já dizia o poeta Vinícius de Morais. Ele ainda disse que “a alegria é assim como a luz no coração”.  
Estar alerta, para saber enfrentar essas velhas companheiras inseparáveis, é algo que depende de nosso sabedoria, pois manter o estado de alerta às nossas emoções é que vai garantir o equilíbrio de nosso coração e evitar a frustração, insatisfação e depressão e faz acender a luz do coração. Para os poetas, nos momentos de tristeza é que brotam a inspiração dos versos. Segundo o “Poetinha”; como era chamado Vinícius: “para fazer um samba com beleza é preciso um bocado de tristeza”.
Mais ainda, eu diria que na vida, os sofrimentos são oportunidades para a superação. 
Quando mencionei a mãe daquela garotinha, no começo do texto, quis demonstrar que  aquele velho ditado que ela mencionou é sábio. Significa que é preciso estar alerta sobre os sinais, sejam eles da alegria ou  da tristeza, companheiras inseparáveis. 
Nós não conseguimos vigiar nosso coração, mas precisamos estar atentos para fazer ajuste para o ambiente externo não nos causar sentimentos ruins. Desta maneira, ao estarmos atentos à mudanças de humor, entendendo os fluxos de energia positivo e negativo, quando surgir a energia negativa, por exemplo num momento de raiva, se a gente fizer arrependimento no momento exato, é a forma de  inibi-la, fazendo-a descer. O mais importante é compreender-se a si mesmo, entendendo o próprio coração. 
Por isso é preciso sorrir, se alegrar e manter acesa a luz do coração, estando atendo às nossas emoções, para quando surgir estados de tristeza ou de raiva, esse sentimento passe logo e não se instale de forma permanente, pois apesar de serem companheiras inseparáveis, como disse o velho poeta é muito melhor ser alegre do que ser triste.
Estar alerta sobre as emoções é fazer o auto controle do coração.
        


                                                            Rosana Montero Cappi


13 comentários:

CCF disse...

"- Fazer o quê, nada é perfeito." certo Rosana. Por isso é importante que as palavras cada vez nos una mais, pois assim nos aproximamos da perfeição. Parabéns amiga!

agmoncarlos disse...

Para quem ja conhecia suas obras anteriores (EMA) que li e curti de forma apaixonada e depois o seu Estão Voltando as Flores, não me surpreende mais o sucesso do seu trabalho e o brilhantismo das suas publicações mais recentes. Parabéns pelo seu talento e competência literária. Saudades muitas sua e do seu pai, o Grande Caruso Vicente Montero. Bjus pra ambos. AGMON, Menestrel das Flores

Poesias Inadequadas disse...

Excelente, Rosana! Faltarão degraus na sua escalada literária.

Rachel disse...

"é preciso sorrir, se alegrar e manter acesa a luz do coração..." É o que faço em minha vida! Você tocou pontos importantes para a sobrevivência em grau 100" Parabéns.

Pado Levy disse...

Parabéns Rosana! Nada permanence mais no mundo do que a mudança, o mundo não para de mudar e ficamos identificados com a mudança de nossos sentimentos, bons ou maus. A aceitação é o melhor caminho, pois quando aceitamos um pensamento mau, estamos dando o primeiro passo para resolve-lo e, ser for bom, o primeiro passo para dança.

Pado Levy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pado Levy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pado Levy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pado Levy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eunice Rodrigues de Pontes disse...

Querida Rosana,
Realmente nossa vida é feita de momentos diferentes, entre eles a alegria ou a tristeza e nem sempre é fácil administrá-los.
Bjs. Eunice

Eunice Rodrigues de Pontes disse...

Querida Rosana
Realmente a vida é feita de vários momentos diferentes, entre eles a alegria e a tristeza; nem sempre é fácil administrá-los.
Bjs. Eunice

Wellington Souza disse...

parabéns, Rosana, pelo prêmio!

Gostaria de te apresentar os sites da Benfazeja press, com a nossa revista literária e site de concursos literários, além da empresa de web design Bravo.

Será um prazer receber um dos seus contos.

Boa sorte na jornada literária!

Atenciosamente,

W Souza

Marisilda Tescaroli disse...

Excelente Rosana. Mensagem bem dada, clara, profunda e muito interessante. Lembro-me uma palestra que ouvi no Tao: nossos sentidos (que são bons) estão sempre acompanhados de um "problema" (vamos achar assim. O olho que nos mostra o mundo lindo tem secreções, os ouvidos tem cera, e por aí vai. Realmente tristeza e alegria andam juntas. O importante é não se deixar levar totalmente por uma delas no momento em que acontece. Na alegria é fácil, o difícil é não se desesperar nos momentos de tristeza profunda. Parabéns! Adora suas poesias e agora suas crônicas também. Marisilda